Home» Liturgia Diária» É permitido no sábado fazer o bem ou fazer o mal?

É permitido no sábado fazer o bem ou fazer o mal?  

Ano B – 18 de janeiro de 2012

Cor Liturgica: VERDE (4ª-feira da 2ª Semana Tempo Comum)

Marcos 3,1-6

Aleluia, aleluia, aleluia.
Jesus pregava a boa-nova, o reino anunciando, e curava toda espécie de doenças entre o povo (Mt 4,23).


Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos.
Naquele tempo, 3 1 entrou Jesus na sinagoga e achava-se ali um homem que tinha a mão seca.
2 Ora, estavam-no observando se o curaria no dia de sábado, para o acusarem.
3 Ele diz ao homem da mão seca: “Vem para o meio.”

4 Então lhes pergunta: “É permitido fazer o bem ou o mal no sábado? Salvar uma vida ou matar?” Mas eles se calavam.
5 Então, relanceando um olhar indignado sobre eles, e contristado com a dureza de seus corações, diz ao homem: “Estende tua mão!” Ele estendeu-a e a mão foi curada.
6 Saindo os fariseus dali, deliberaram logo com os herodianos como o haviam de perder.
Palavra da Salvação.


Comentário do Evangelho
PUNIÇÃO PARA O BEM

É difícil de entender por que os fariseus e os herodianos combinaram uma maneira de matar Jesus, depois de tê-lo visto curar um homem cuja mão era seca. Se o indivíduo tivesse sido vítima de uma maldade, daria para compreender. Entretanto, havia recebido um benefício e, mesmo assim, seu benfeitor foi visto com maus olhos. Por quê?

Tudo aconteceu por causa de um tipo de religião mal-equacionada. Religião em que certos princípios acabam se tornando tão absolutos que, diante deles, o direito à vida fica em segundo plano. Que isto acontecia com a religião de Israel não dá para entender! Ao longo da história deste povo, Deus sempre se manifestara como o Deus da vida e da libertação, jamais se mostrava indiferente ao que dizia respeito a estes dois componentes da existência humana. Seus mandamentos visavam garantir vida e liberdade para o povo. E se irava contra quem os desrespeitava.

Em sintonia com o Pai, o Filho foi também defensor intransigente da vida. Sempre que estava ameaçada, aí estava ele para recuperá-la. Mesmo sendo dia de sábado, não se recusava a agir, quando se tratava de fazer o bem.

Os fariseus não abriam mão de sua visão desumana da religião. E quando se defrontaram com Jesus curando em dia de sábado, não hesitaram em puni-lo com a morte, num flagrante contraste com o modo divino de agir.

Oração
Espírito que humaniza, não me deixes transformar a religião em instrumento de opressão. Faze, ao invés, que eu me coloque sempre a serviço da vida.

Leitura

1 Samuel 17,32-33.37.40-51

Leitura do primeiro livro de Samuel.
17 32 Davi disse-lhe: “Ninguém desanime por causa desse filisteu! Teu servo irá combatê-lo”.
33 “Combatê-lo, tu?!”, exclamou o rei. “Não é possível. Não passas de um menino e ele é um homem de guerra desde a sua mocidade”.
37 “O Senhor”, acrescentou, “que me salvou das garras do leão e do urso, salvar-me-á também das mãos desse filisteu”. “Vai”, disse Saul a Davi; “e que o Senhor esteja contigo!”

40 E, tirando a armadura, tomou seu cajado e escolheu no regato cinco pedras lisas, pondo-as no alforje de pastor que lhe servia de bolsa. Em seguida, com a sua funda na mão, avançou contra o filisteu.
41 De seu lado, o filisteu, precedido de seu escudeiro, aproximou-se de Davi,
42 mediu-o com os olhos, e, vendo que era jovem, louro e de delicado aspecto, desprezou-o.
43 Disse-lhe: “Sou eu porventura um cão, para vires a mim com um cajado?” E amaldiçoou-o em nome de seus deuses.
44 “Vem”, continuou ele, “e eu darei a tua carne às aves do céu e aos animais da terra!”
45 Davi respondeu: “Tu vens contra mim com espada, lança e escudo; eu, porém, vou contra ti em nome do Senhor dos exércitos, do Deus das fileiras de Israel, que tu insultaste. 46 Hoje o Senhor te entregará nas minhas mãos, e eu te matarei, cortar-te-ei a cabeça, e darei os cadáveres do exército dos filisteus às aves do céu e aos animais da terra. Toda a terra saberá que há um Deus em Israel;
47 e toda essa multidão saberá que não é com a espada nem com a lança que o Senhor triunfa, pois a batalha é do Senhor, e ele vos entregou em nossas mãos!”
48 Levantou-se o filisteu e marchou contra Davi. Davi também correu para a linha inimiga ao encontro do filisteu.
49 Meteu a mão no alforje, tomou uma pedra e arremessou-a com a funda, ferindo o filisteu na fronte. A pedra penetrou-lhe na fronte, e o gigante caiu com o rosto por terra.

50 Assim venceu Davi o filisteu, ferindo-o de morte com uma funda e uma pedra. E como não tinha espada na mão,
51 correu ao filisteu, subiu-lhe em cima, arrancou-lhe a espada da bainha e acabou de matá-lo, cortando-lhe a cabeça. Vendo morto o seu campeão, os filisteus fugiram.
Palavra do Senhor.

Salmo 143/144
Bendito seja o Senhor, meu rochedo!

Bendito seja o Senhor, meu rochedo,
que adestrou minhas mãos para a luta
e os meus dedos treinou para a guerra!

Ele é meu amor, meu refúgio,
libertador, fortaleza e abrigo;
é meu escudo: é nele que espero,
ele submete as nações a meus pés.

Um canto novo, meu Deus, vou cantar-vos,

nas dez cordas da harpa louvar-vos,
a vós, que dais a vitória aos reis
e salvais vosso servo Davi.

Oração
Deus eterno e todo-poderoso, que governais o céu e a terra, escutai com bondade as preces do vosso povo e dai ao nosso tempo a vossa paz. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Link: 44 pessoas viram!