Home» Liturgia Diária» Ele devia ressuscitar dos mortos

Ele devia ressuscitar dos mortos  

Dia 16 de Abril – Domingo

PÁSCOA DA RESSURREIÇÃO
(Branco, Glória, Sequência, Creio, Prefácio da Páscoa I – I Semana do Saltério)


Antífona de Entrada

Ressuscitei, ó Pai, e sempre estou contigo: pousaste sobre mim a tua mão, tua sabedoria é admirável, aleluia! (Sl 138,18.5s)


Oração do dia

Ó Deus, por vosso filho unigênito, vencedor da morte, abristes hoje para nós as portas da eternidade. Concede que, celebrando a ressurreição do Senhor, renovados pelo vosso Espírito, ressuscitemos na luz da vida nova. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.


Leitura (Atos 10,34.37-43)

Leitura dos Atos dos Apóstolos.
10 34 Então Pedro tomou a palavra e disse: “Em verdade, reconheço que Deus não faz distinção de pessoas,
37 Vós sabeis como tudo isso aconteceu na Judéia, depois de ter começado na Galiléia, após o batismo que João pregou.
38 Vós sabeis como Deus ungiu a Jesus de Nazaré com o Espírito Santo e com o poder, como ele andou fazendo o bem e curando todos os oprimidos do demônio, porque Deus estava com ele.
39 E nós somos testemunhas de tudo o que fez na terra dos judeus e em Jerusalém. Eles o mataram, suspendendo-o num madeiro.
40 Mas Deus o ressuscitou ao terceiro dia e permitiu que aparecesse,
41 não a todo o povo, mas às testemunhas que Deus havia predestinado, a nós que comemos e bebemos com ele, depois que ressuscitou.
42 Ele nos mandou pregar ao povo e testemunhar que é ele quem foi constituído por Deus juiz dos vivos e dos mortos.
43 Dele todos os profetas dão testemunho, anunciando que todos os que nele crêem recebem o perdão dos pecados por meio de seu nome”.
Palavra do Senhor.


Salmo Responsorial 117/118

Este é o dia que o Senhor fez para nós:
alegremo-nos e nele exultemos!
 
Dai graças ao Senhor, porque ele é bom!
“Eterna é a sua misericórdia!”
A casa de Israel agora o diga:
“Eterna é a sua misericórdia!”
 
A mão direita do Senhor fez maravilhas,
a mão direita do Senhor me levantou.
Não morrerei, mas, ao contrário, viverei
para cantar as grandes obras do Senhor!
 
A pedra que os pedreiros rejeitaram
tornou-se agora a pedra angular.
Pelo Senhor é que foi feito tudo isso:
que maravilhas ele fez a nossos olhos!


Leitura (Colossenses 3,1-4)

Leitura da carta de são Paulo aos Colossenses.
3 1 Se, portanto, ressuscitastes com Cristo, buscai as coisas lá do alto, onde Cristo está sentado à direita de Deus.
2 Afeiçoai-vos às coisas lá de cima, e não às da terra.
3 Porque estais mortos e a vossa vida está escondida com Cristo em Deus.
4 Quando Cristo, vossa vida, aparecer, então também vós aparecereis com ele na glória.
Palavra do Senhor.


Sequência

Cantai, cristãos, afinal: Salve ó vítima Pascal!
Cordeiro inocente, o Cristo abriu-nos do Pai o aprisco.

Por toda ovelha imolado, do mundo lava o pecado.
Duelam forte e mais forte: é a vida que enfrenta a morte.

O rei da vida, cativo, é morto, mas reina vivo!
Responde, pois, ó Maria: no teu caminho o que havia?

Vi Cristo ressuscitado, o túmulo abandonado.
Os anjos da cor do sol, dobrado ao chão o lençol.

O Cristo, que leva aos céus, caminha à frente dos seus!
Ressuscitou de verdade. Ó rei, ó Cristo, piedade!


Evangelho (João 20,1-9)

Aleluia, aleluia, aleluia.
O nosso cordeiro pascal, Jesus Cristo, já foi imolado. Celebremos, assim, esta festa na sinceridade e verdade (1Cor 5,7s).
 
Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo João.
20 1 No primeiro dia que se seguia ao sábado, Maria Madalena foi ao sepulcro, de manhã cedo, quando ainda estava escuro. Viu a pedra removida do sepulcro.
2 Correu e foi dizer a Simão Pedro e ao outro discípulo a quem Jesus amava: “Tiraram o Senhor do sepulcro, e não sabemos onde o puseram!”
3 Saiu então Pedro com aquele outro discípulo, e foram ao sepulcro.
4 Corriam juntos, mas aquele outro discípulo correu mais depressa do que Pedro e chegou primeiro ao sepulcro.
5 Inclinou-se e viu ali os panos no chão, mas não entrou.
6 Chegou Simão Pedro que o seguia, entrou no sepulcro e viu os panos postos no chão.
7 Viu também o sudário que estivera sobre a cabeça de Jesus. Não estava, porém, com os panos, mas enrolado num lugar à parte.
8 Então entrou também o discípulo que havia chegado primeiro ao sepulcro. Viu e creu.
9 Em verdade, ainda não haviam entendido a Escritura, segundo a qual Jesus devia ressuscitar dentre os mortos.
Palavra da Salvação.


Comentário ao Evangelho

A RESSURREIÇÃO NÃO COMPREENDIDA
            A Ressurreição pegou desprevenidos os discípulos e as pessoas mais chegadas a Jesus. Maria Madalena, na manhã do primeiro dia da semana, ou seja, o domingo para nós, foi, bem cedinho, ao sepulcro. Seu objetivo era chorar o amigo morto. Visita nostálgica, para recordar um tempo que jamais voltaria.
            Para sua surpresa, a pedra sepulcral não estava na posição devida. Tinha sido removida, e o corpo de Jesus não se encontrava no túmulo. Tomada de surpresa e espanto, Maria Madalena saiu apressada, afim de comunicar o fato aos discípulos. Pedro e o discípulo amado correram em direção ao sepulcro, para constatar o ocorrido. Lá se encontravam as faixas e o lençol usados no sepultamento de Jesus, mas o corpo não. Algo já se podia suspeitar: como era possível levar embora um cadáver, já sepultado, deixando para trás as faixas e o lençol que o envolviam? Eles estavam diante de um fato intrigante.
            Pedro e Maria Madalena ficaram com a hipótese da retirada do corpo. Eles não contemplavam a possibilidade de Jesus ter ressuscitado. É no coração do discípulo amado que se desperta a intuição de que o Mestre estava vivo. Não é fácil determinar o conteúdo de sua fé, neste primeiro momento. Talvez João pensara que algo de extraordinário tivesse acontecido com o corpo de Jesus. O verdadeiro significado do sepulcro vazio era ainda uma incógnita. Seria preciso dar tempo ao tempo para que tudo ficasse esclarecido.

Oração
Senhor Jesus, ilumina minha mente e meu coração para que eu possa superar minhas falsas compreensões a respeito da Ressurreição.


Sobre as Oferendas

Transbordando de alegria pascal, nós vos oferecemos, ó Deus, o sacrifício pelo qual a vossa Igreja maravilhosamente renasce e se alimenta. Por Cristo, nosso Senhor.


Antífona da Comunhão

O Cristo, nossa Páscoa, foi imolado; celebremos a festa com pão sem fermento, o pão da retidão e da verdade, aleluia (1Cor 5,7s).


Depois da Comunhão

Guardai, ó Deus, a vossa Igreja sob a vossa constante proteção para que, renovados pelos sacramentos pascais, cheguemos à luz da ressurreição. Por Cristo, nosso Senhor.

Link: 8 pessoas viram!