Home» Liturgia Diária» ‘Eu vi o Senhor!’; e eis o que ele me disse

‘Eu vi o Senhor!’; e eis o que ele me disse  

Dia 18 de Abril – Terça-feira

OITAVA DA PÁSCOA
(Branco, Glória, Prefácio da Páscoa I – Ofício Próprio)


Antífona de Entrada

Deu-lhes a água da sabedoria, tornou-se a sua força, e não vacilam; vai exaltá-los para sempre, aleluia! (Eclo 15,3s)


Oração do dia

Ó Deus, que nos concedestes a salvação pascal, acompanhais o vosso povo com vossos dons celestes, para que, tendo conseguido a verdadeira liberdade, possa um dia alegrar-se no céu, como exulta agora na terra. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.


Leitura (Atos 2,36-41)

Leitura dos Atos Apóstolos.
2 36 “Que toda a casa de Israel saiba, portanto, com a maior certeza de que este Jesus, que vós crucificastes, Deus o constituiu Senhor e Cristo”.
37 Ao ouvirem essas coisas, ficaram compungidos no íntimo do coração e indagaram de Pedro e dos demais apóstolos: “Que devemos fazer, irmãos?”
38 Pedro lhes respondeu: “Arrependei-vos e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo para remissão dos vossos pecados, e recebereis o dom do Espírito Santo.
39 Pois a promessa é para vós, para vossos filhos e para todos os que ouvirem de longe o apelo do Senhor, nosso Deus”.
40 Ainda com muitas outras palavras exortava-os, dizendo: “Salvai-vos do meio dessa geração perversa!”
4l Os que receberam a sua palavra foram batizados. E naquele dia elevou-se a mais ou menos três mil o número dos adeptos.
Palavra do Senhor.


Salmo Responsorial 32/33

Transborda em toda a terra a bondade do Senhor.
 
Reta é a palavra do Senhor,
e tudo o que ele faz merece fé.
Deus ama o direito e a justiça,
transborda em toda a terra a sua graça.
 
Mas o Senhor pousa o olhar sobre os que o temem
e que confiam, esperando em seu amor,
pra da morte libertar as suas vidas
e alimentá-los quando é tempo de penúria.
 
No Senhor nós esperamos confiantes,
porque ele é nosso auxílio e proteção!
Sobre nós venha, Senhor, a vossa graça,
da mesma forma que em vós nós esperamos!


Evangelho (João 20,11-18)

Aleluia, aleluia, aleluia.
Este é o dia que o Senhor fez para nós, alegremo-nos e nele exultemos! (Sl 117)
 
Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo João.
Naquele tempo, 20 11 entretanto, Maria se conservava do lado de fora perto do sepulcro e chorava. Chorando, inclinou-se para olhar dentro do sepulcro.
12 Viu dois anjos vestidos de branco, sentados onde estivera o corpo de Jesus, um à cabeceira e outro aos pés.
13 Eles lhe perguntaram: “Mulher, por que choras?” Ela respondeu: “Porque levaram o meu Senhor, e não sei onde o puseram”.
14 Ditas estas palavras, voltou-se para trás e viu Jesus em pé, mas não o reconheceu.
15 Perguntou-lhe Jesus: “Mulher, por que choras? Quem procuras?” Supondo ela que fosse o jardineiro, respondeu: “Senhor, se tu o tiraste, dize-me onde o puseste e eu o irei buscar”.
16 Disse-lhe Jesus: “Maria!” Voltando-se ela, exclamou em hebraico: “Rabôni!” (que quer dizer Mestre).
17 Disse-lhe Jesus: “Não me retenhas, porque ainda não subi a meu Pai, mas vai a meus irmãos e dize-lhes: Subo para meu Pai e vosso Pai, meu Deus e vosso Deus”.
18 Maria Madalena correu para anunciar aos discípulos que ela tinha visto o Senhor e contou o que ele lhe tinha falado.
Palavra da Salvação.


Comentário ao Evangelho

EU VI O SENHOR
            A suspeita do roubo do corpo de Jesus deixou Maria Madalena transtornada. Estava chorando desolada, diante do túmulo vazio, quando foi abordada pelo Ressuscitado. Num primeiro momento, Jesus Ressuscitado fora confundido com um jardineiro que, eventualmente, pudesse ter tido a idéia de transportar o corpo para um outro local. O imenso amor de Maria Madalena a predispôs a ir, pessoalmente, buscar o corpo do Mestre e a recolocá-lo no túmulo. Tarefa que não lhe pareceu impraticável, apesar de estar sozinha.
            Uma simples exclamação, porém, mudou tudo. Bastou que Jesus a chamasse pelo nome, “Maria”, para se fazer reconhecido. A ternura e a amizade colocadas nesta palavra levou-a a não ter mais dúvidas de estar diante do Mestre.
            Jesus, entretanto, deu a este episódio uma dimensão missionária. À Maria Madalena foi confiada a tarefa de comunicar aos discípulos a próxima volta do Ressuscitado para junto do Pai. Em última análise, tratava-se de proclamar que a morte não tivera a última palavra na vida de Jesus. Pelo contrário, ele voltava vivo para o Pai. Disto se podia concluir que valia a pena ser-lhe fiel, e que, embora a injustiça possa, num determinado momento, prevalecer, jamais o justo estará fadado ao fracasso.
            Depois desse seu encontro com o Senhor ressuscitado, Maria Madalena tornou-se missionária da alegria e da esperança. Competia-lhe recuperar, no coração dos discípulos, o sentido do seguimento de Jesus. O Mestre estava vivo e o discipulado deveria continuar.

Oração
Senhor Jesus, faze-me compreender minha missão: recuperar a alegria e a esperança, no coração de quem perdeu a esperança de se encontrar contigo.


Sobre as Oferendas

Acolhei, ó Deus, com bondade, as oferendas da vossa família e concedei-nos, com o auxílio da vossa proteção, sem perder o que nos destes, alcançar os bens eternos. Por Cristo, nosso Senhor.


Antífona da Comunhão

Se ressuscitastes com Cristo, buscai as coisas do alto, onde Cristo está sentado à direita de Deus: tende gosto pelas coisas do alto, aleluia! (Cl 3,1s)


Depois da Comunhão

Ouvi-nos, ó Deus todo-poderoso, e preparai os corações de vossos filhos e filhas que enriquecestes com a graça do batismo, para que possa merecer a felicidade eterna. Por Cristo, nosso Senhor.

Link: 33 pessoas viram!