Home» Liturgia Diária» Genealogia de Jesus Cristo, filho de Davi

Genealogia de Jesus Cristo, filho de Davi  

Ano A – 17 de dezembro de 2010

Cor Liturgica: ROXO (ultimos dias antes do natal)

Mateus 1,1-17

Aleluia, aleluia, aleluia.

Ó sabedoria do altíssimo, que tudo determina com doçura e com vigor: oh, vem nos ensinar o caminho da prudência!

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus.

1 Genealogia de Jesus Cristo, filho de Davi, filho de Abraão.

2 Abraão gerou Isaac. Isaac gerou Jacó. Jacó gerou Judá e seus irmãos.

3 Judá gerou, de Tamar, Farés e Zara. Farés gerou Esron. Esron gerou Arão.

4 Arão gerou Aminadab. Aminadab gerou Naasson. Naasson gerou Salmon.

5 Salmon gerou Booz, de Raab. Booz gerou Obed, de Rute. Obed gerou Jessé. Jessé gerou o rei Davi.

6 O rei Davi gerou Salomão, daquela que fora mulher de Urias.

7 Salomão gerou Roboão. Roboão gerou Abias. Abias gerou Asa.

8 Asa gerou Josafá. Josafá gerou Jorão. Jorão gerou Ozias.

9 Ozias gerou Joatão. Joatão gerou Acaz. Acaz gerou Ezequias.

10 Ezequias gerou Manassés. Manassés gerou Amon. Amon gerou Josias.

11 Josias gerou Jeconias e seus irmãos, no cativeiro de Babilônia.

12 E, depois do cativeiro de Babilônia, Jeconias gerou Salatiel. Salatiel gerou Zorobabel.

13 Zorobabel gerou Abiud. Abiud gerou Eliacim. Eliacim gerou Azor.

14 Azor gerou Sadoc. Sadoc gerou Aquim. Aquim gerou Eliud.

15 Eliud gerou Eleazar. Eleazar gerou Matã. Matã gerou Jacó.

16 Jacó gerou José, esposo de Maria, da qual nasceu Jesus, que é chamado Cristo.

17 Portanto, as gerações, desde Abraão até Davi, são quatorze. Desde Davi até o cativeiro de Babilônia, quatorze gerações. E, depois do cativeiro até Cristo, quatorze gerações. Nascimento de Jesus.

Palavra da Salvação.


Comentário do Evangelho

A CRIAÇÃO CONSUMADA

O longo elenco genealógico forjado pelo evangelista para explicitar a linhagem davídica de Jesus – filho de Davi –, esconde, em suas entrelinhas, um rico filão teológico. Uma de suas vertentes é o tema da criação levada à sua plenitude com a irrupção de Jesus na história humana. A genealogia pretende ser uma releitura do Gênesis e não o resultado de uma pesquisa minuciosa a respeito dos antepassados do Messias.

O cabeçalho da genealogia é introduzido pela expressão “livro do gênesis de Jesus Cristo”. Tudo nela gira em torno do verbo “gerar”, dar vida, trazer à existência, encaminhando-se para a geração de Jesus, como ponto para onde converge todo o dinamismo da História. Nele as gerações chegam a termo. Não se dirá “Jesus gerou …”, por se constituir o definitivo ponto de referência de tudo quanto existe.

O evangelista também serviu-se de uma rica simbologia numérica, em voga nos círculos rabínicos da época, para alcançar seu objetivo. O número quatorze multiplicado por três corresponde a quarenta e dois, ou seja, seis vezes sete. Na aritmética teológica hebraica, o número seis indicava imperfeição, carência. Ele corresponderia aos seis dias da criação. Competia ao Messias Jesus inaugurar o sétimo dia para levar a criação à plenitude.

Na concepção de Jesus, a presença do Espírito Santo, comparável ao vento que soprava sobre as águas por ocasião do primeiro gênesis, completa o simbolismo: em Jesus tem início a criação nova e verdadeira. É a criação consumada!

Oração

Pai, que a presença de teu Filho Jesus, na História, leve à plenitude a obra de tua criação, fazendo desabrochar, em cada coração humano, o amor para o qual foi criado.

(O comentário do Evangelho é feito pelo Pe. Jaldemir Vitório – Jesuíta, Doutor em Exegese Bíblica, Professor da FAJE).

Leitura

Gênesis 49,2.8-10

Leitura do livro do Gênesis.

Naqueles dias, Jaço chamou seus filhos e disse: 2 “Ajuntai-vos e ouvi, filhos de Jacó. Escutai Israel, vosso pai.

8 Judá, teus irmãos te louvarão. Pegarás pela nuca os inimigos; os filhos de teu pai se prostrarão em tua presença.

9 Filhote de leão, Judá: voltas trazendo a caça, meu filho. Dobra-se, deita-se como um leão; como uma leoa: quem o despertará?

10 Não se apartará o cetro de Judá, nem o bastão de comando dentre seus pés, até que venha aquele a quem pertence por direito, e a quem devem obediência os povos”.

Palavra do Senhor.

Salmo 71/72
Nos seus dirás a justiça florirá

E a paz em abundância, para sempre.

Daí ao rei vossos poderes, Senhor Deus,

vossa justiça ao descendente da realeza!

Com justiça ele governe o vosso povo,

com eqüidade ele julgue os vossos pobres.

Das montanhas venha a paz a todo o povo,

e desça das colinas a justiça!

Este rei defenderá os que são pobres,

os filhos dos humildes salvará.

Nos seus dias a justiça florirá

e grande paz, até que a lua perca o seu brilho!

De mar a mar estenderá o seu domínio,

e desde o rio até os confins de toda a terra!

Seja bendito o seu nome para sempre!

E que dure como o sol sua memória!

Todos os povos serão nele abençoados,

todas as gentes cantarão o seu louvor!

Oração
Ó Deus, criador e redentor do gênero humano, quisestes que o vosso Verbo se encarnasse no seio da Virgem. Sede favorável à nossa súplica, para que o vosso Filho unigênito, tendo recebido nossa humanidade, nos faça participar da sua vida divina. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Link: 99 pessoas viram!