Home» Liturgia Diária» Ide contar a João o que vistes e ouvistes.

Ide contar a João o que vistes e ouvistes.  

Ano A – 15 de dezembro de 2010

Cor liturgica: ROXO

Lucas 7,19-23

Aleluia, aleluia, aleluia.

Tu que trazes boa-nova a Sião, levanta tua voz e anuncia: eis que vem o Senhor Deus com poderio! (Is 40,9s).

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas.

Naquele tempo, 19 João chamou dois dos seus discípulos e enviou-os a Jesus, perguntando: “És tu o que há de vir ou devemos esperar por outro?”

20 Chegando estes homens a ele, disseram: “João Batista enviou-nos a ti, perguntando: ´És tu o que há de vir ou devemos esperar por outro?´”

21 Ora, naquele momento Jesus havia curado muitas pessoas de enfermidades, de doenças e de espíritos malignos, e dado a vista a muitos cegos.

22 Respondeu-lhes ele: “Ide anunciar a João o que tendes visto e ouvido: os cegos vêem, os coxos andam, os leprosos ficam limpos, os surdos ouvem, os mortos ressuscitam, aos pobres é anunciado o Evangelho;

23 e bem-aventurado é aquele para quem eu não for ocasião de queda!”

Palavra da Salvação.


Comentário do Evangelho

FELIZ DE QUEM ACOLHE O MESSIAS

Foi declarado feliz aquele para quem Jesus “não for ocasião de queda” e o acolher na condição de Messias, tornando-o mediação da experiência de Deus. Igualmente feliz quem não se escandalizar com o seu testemunho de Messias dos pobres e marginalizados, em consonância com a pregação dos profetas.

Por romper com os estritos padrões religiosos, o comportamento de Jesus desconcertava muitos judeus piedosos. O contato com os doentes e enfermos, considerados punidos por Deus por causa de seus pecados, era tido como veículo de impureza. Os leprosos eram especialmente malvistos. O conflito com pessoas possuídas por espírito malignos podia deixar transparecer que Jesus pactuasse com as forças do mal. A proximidade das pessoas de classes sociais inferiores e sua manifesta solidariedade com elas eram tomadas como indício seguro de que, como seus admiradores, o Mestre ignorava as coisas de Deus e desconhecia a Lei. Portanto, seu infrator.

Quem observava o modo de ser de Jesus, sem a devida cautela, tinha tudo para considerá-lo ímpio. Mas quem considerasse atentamente o resultado de sua ação tinha motivos para louvar a Deus pelas maravilhas que realizava. Pelas mãos de Jesus, eram operados prodígios dignos do Filho de Deus. Bem-aventurado seria quem o reconhecesse como Messias. Para tanto, era preciso estar profundamente sintonizado com Deus.

Oração

Pai, enviastes teu Filho ao mundo, na condição de Messias dos pobres. Que eu saiba reconhecê-lo no gesto simples de solidariedade com os pobres e sofredores.

(O comentário do Evangelho é feito pelo Pe. Jaldemir Vitório – Jesuíta, Doutor em Exegese Bíblica, Professor da FAJE ).

Leitura

Isaías 45,6-8.18.21-25

Leitura do livro do profeta Isaías.

6 “a fim de que se saiba, do levante ao poente, que nada há fora de mim. Eu sou o Senhor, sem rival;

7 formei a luz e criei as trevas, busco a felicidade e suscito a infelicidade. Sou eu o Senhor, que faço todas essas coisas.

8 Que os céus, das alturas, derramem o seu orvalho, que as nuvens façam chover a vitória; abra-se a terra e brote a felicidade e ao mesmo tempo faça germinar a justiça! Sou eu, o Senhor, a causa de tudo isso”.

18 Eis o que diz o Senhor que criou os céus, ele, o único Deus que formou a terra e a estabilizou, que não a criou para que seja um caos, mas a organizou para que nela se viva: “eu sou o Senhor, e não tenho rival.

21 Fazei valer vossos argumentos, consultai-vos uns aos outros: quem havia predito o que se passa, quem o tinha anunciado desde longa data? Não fui eu, o Senhor, e nenhum outro? Não há Deus fora de mim.

22 Volvei-vos para mim, e sereis salvos, todos os confins da terra, porque eu sou Deus e sou o único,

23 juro-o por mim mesmo! A verdade sai de minha boca, minha palavra jamais será revogada: todo joelho deve dobrar-se diante de mim, toda língua deve jurar por mim,

24 dizendo: É só no Senhor que se encontra a vitória e a força”. A ele virão envergonhados todos aqueles que se tinham levantado contra ele;

25 mas toda a raça de Israel achará no Senhor o triunfo e a glória.

Palavra do Senhor.

Salmo 84/85

Que os céus lá do alto derramem o orvalho,

Que chova das nuvens o justo esperado!

Quero ouvir o que o Senhor irá falar:

é a paz que ele vai anunciar;

a paz para o seu povo e seus amigos,

para os que voltam ao Senhor seu coração.

Está perto a salvação dos que o temem,

e a glória habitará em nossa terra.

A verdade e o amor se encontrarão,

a justiça e a paz se abraçarão;

da terra brotará a fidelidade,

e a justiça olhará dos altos céus.

O Senhor nos dará tudo o que é bom,

e a nossa terra nos dará suas colheitas;

a justiça andará na sua frente

e a salvação há de seguir os passos seus.

Oração
Concedei-nos, ó Deus onipotente, que as próximas festas do vosso Filho nos sejam remédio nesta vida e prêmio na vida eterna. Por nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Link: 226 pessoas viram!