Home» Liturgia Diária» Não sereis vós que havereis de falar, mas sim o Espírito do vosso Pai

Não sereis vós que havereis de falar, mas sim o Espírito do vosso Pai  

Dia 26 de Dezembro – Segunda-feira

SANTO ESTÊVÃO
Diácono e Protomártir
(Vermelho, Glória, Prefácio do Natal – Ofício da Festa)


Antífona de Entrada

As portas do céu abriram-se para santo Estêvão, que foi o primeiro dentre os mártires e por isso, coroado, triunfa no céu.


Oração do dia

Ensinai-nos, ó Deus, a imitar o que celebramos, amando os nossos próprios inimigos, pois festejamos santo Estêvão, vosso primeiro mártir, que soube rezar por seus perseguidores. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.


Leitura (Atos 6,8-10;7,54-59)

Leitura dos Atos dos Apóstolos.
Naqueles dias, 6 8 Estêvão, cheio de graça e fortaleza, fazia grandes milagres e prodígios entre o povo.
9 Mas alguns da sinagoga, chamada dos Libertos, dos cirenenses, dos alexandrinos e dos que eram da Cilícia e da Ásia, levantaram-se para disputar com ele.
10 Não podiam, porém, resistir à sabedoria e ao Espírito que o inspirava.
54 Ao ouvir tais palavras, esbravejaram de raiva e rangiam os dentes contra ele.
55 Mas, cheio do Espírito Santo, Estêvão fitou o céu e viu a glória de Deus e Jesus de pé à direita de Deus:
56 “Eis que vejo, disse ele, os céus abertos e o Filho do Homem, de pé, à direita de Deus”.
57 Levantaram então um grande clamor, taparam os ouvidos e todos juntos se atiraram furiosos contra ele.
58 Lançaram-no fora da cidade e começaram a apedrejá-lo. As testemunhas depuseram os seus mantos aos pés de um moço chamado Saulo.
59 E apedrejavam Estêvão, que orava e dizia: “Senhor Jesus, recebe o meu espírito”.
Palavra do Senhor.


Salmo Responsorial 30/31

Em vossas mãos, Senhor, entrego o meu espírito.

Sede uma rocha protetora para mim,
um abrigo bem seguro que me salve!
Sim, sois vós a minha rocha e fortaleza;
por vossa honra, orientai-me e conduzi-me!

Em vossas mãos, Senhor, entrego o meu espírito,
porque vós me salvareis, ó Deus fiel!
Vosso amor me faz saltar de alegria,
pois olhastes para as minhas aflições.

Eu entrego em vossas mãos o meu destino;
libertai-me do inimigo e do opressor!
Mostrai serena a vossa face ao vosso servo
e salvai-me pela vossa compaixão!


Evangelho (Mateus 10,17-22)

Aleluia, aleluia, aleluia.
Bendito o que vem em nome do Senhor. Nosso Deus é o Senhor, ele é a nossa luz (Sl 117,26s).

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus.
Naquele tempo, 10 17 Disse Jesus: “Cuidai-vos dos homens. Eles vos levarão aos seus tribunais e açoitar-vos-ão com varas nas suas sinagogas.
18 Sereis por minha causa levados diante dos governadores e dos reis: servireis assim de testemunho para eles e para os pagãos.
19 Quando fordes presos, não vos preocupeis nem pela maneira com que haveis de falar, nem pelo que haveis de dizer: naquele momento ser-vos-á inspirado o que haveis de dizer.
20 Porque não sereis vós que falareis, mas é o Espírito de vosso Pai que falará em vós.
21 O irmão entregará seu irmão à morte. O pai, seu filho. Os filhos levantar-se-ão contra seus pais e os matarão.
22 Sereis odiados de todos por causa de meu nome, mas aquele que perseverar até o fim será salvo”.
Palavra da Salvação.


Comentário ao Evangelho

PERSEVERAR NAS PERSEGUIÇÕES
            Desde o início, Jesus advertiu os seus discípulos a respeito do destino de perseguição e de morte que os aguardava. Também as comunidades cristãs não tardaram a fazer esta mesma e dura experiência. No âmbito judaico, sofreram terríveis pressões das autoridades religiosas ligadas à sinagoga, furiosas por serem incapazes de reconduzi-las aos rígidos padrões da Lei judaica. Por isso, os discípulos começaram a ser julgados em tribunais, flagelados nas sinagogas, denunciados diante das autoridades civis. Tudo por causa da fé! No âmbito pagão, tiveram sorte semelhante. Foram vítimas dos próprios familiares, movidos por um ódio tão incontrolado, a ponto de fazê-los morrer.
            A orientação de Jesus era clara: “Mantenham-se em paz, não se preocupem, pois o Pai está com vocês!”
            Os sinais desta presença fortalecedora seriam claramente perceptíveis: deveriam mostrar-se totalmente confiantes diante dos tribunais, porque falariam sob a inspiração do Espírito do Pai, que lhes colocaria na boca as palavras convenientes. Para isso, seriam revestidos com uma força tal, que os capacitaria a perseverar em meio aos sofrimentos.
            A salvação dos discípulos dependeria de sua capacidade de perseverar nas adversidades. Deste modo, iriam dar provas de sua total fidelidade ao Pai.

Oração
Espírito de coragem perseverante, nas adversidades da vida, vem em meu auxílio, e ajuda-me para que não arrefeça a minha adesão a Jesus e ao Reino.


Sobre as Oferendas

Ó Deus, recebei de nossas mãos as oferendas que hoje apresentamos, comemorando com alegria o glorioso martírio de santo Estêvão. Por Cristo, nosso Senhor.


Antífona da Comunhão

Enquanto o apedrejavam, Estêvão dizia: Senhor Jesus, recebe o meu espírito (At 7,58).


Depois da Comunhão

Nós vos damos graças, ó Deus, por tanta bondade para conosco, pois nos salvais pelo natal do vosso Filho e nos alegrais com a festa de santo Estêvão. Por Cristo, nosso Senhor.

Link: 115 pessoas viram!