Home» Liturgia Diária» Somos servos inúteis; fizemos o que devíamos fazer

Somos servos inúteis; fizemos o que devíamos fazer  

Dia 8 de Novembro – Terça-feira

XXXII SEMANA DO TEMPO COMUM
(Verde – Ofício do Dia)


Antífona de Entrada

Chegue até vós a minha súplica; inclinai vosso ouvido à minha prece (Sl 87,3).


Oração do dia

Deus de poder e misericórdia, afastai de nós todo obstáculo para que, inteiramente disponíveis, nos dediquemos ao vosso serviço. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.


Leitura (Tito 2,1-8.11-14)

Leitura da Carta de São Paulo a Tito.
2 1 Carríssimo, o teu ensinamento, porém, seja conforme à sã doutrina.
2 Os mais velhos sejam sóbrios, graves, prudentes, fortes na fé, na caridade, na paciência. 3 Assim também as mulheres de mais idade mostrem no seu exterior uma compostura santa, não sejam maldizentes nem intemperantes, mas mestras de bons conselhos.
4 Que saibam ensinar as jovens a amarem seus maridos, a quererem bem seus filhos,
5 a serem prudentes, castas, cuidadosas da casa, bondosas, submissas a seus maridos, para que a palavra de Deus não seja desacreditada.
6 Exorta igualmente os moços a serem morigerados,
7 e mostra-te em tudo modelo de bom comportamento: pela integridade na doutrina, gravidade,
8 linguagem sã e irrepreensível, para que o adversário seja confundido, não tendo a dizer de nós mal algum.
9 Exorta os servos a que sejam submissos a seus senhores e atentos em agradar-lhes. Em lugar de reclamar deles
10 e defraudá-los, procurem em tudo testemunhar-lhes incondicional fidelidade, para que por todos seja respeitada a doutrina de Deus, nosso Salvador.
11 Manifestou-se, com efeito, a graça de Deus, fonte de salvação para todos os homens.
12 Veio para nos ensinar a renunciar à impiedade e às paixões mundanas e a viver neste mundo com toda sobriedade, justiça e piedade,
13 na expectativa da nossa esperança feliz, a aparição gloriosa de nosso grande Deus e Salvador, Jesus Cristo,
14 que se entregou por nós, a fim de nos resgatar de toda a iniqüidade, nos purificar e nos constituir seu povo de predileção, zeloso na prática do bem.
Palavra do Senhor.


Salmo Responsorial 36/37

A salvação de quem é justo vem de Deus!

Confia no Senhor e faze o bem,
E sobre a terra habitarás em segurança.
Coloca no Senhor tua alegria,
E ele dará o que pedir teu coração.

O Senhor cuida da vida dos honestos,
E sua herança permanece eternamente.
É o Senhor quem firma os passos dos mortais
E dirige o caminhar dos que lhe agradam.

Afasta-te do mal e faze o bem,
E terás tua morada para sempre.
Os justos herdarão a nova terra
E nela habitarão eternamente.


Evangelho (Lucas 17,7-10)

Aleluia, aleluia, aleluia.
Quem me ama, realmente, guardará minha palavra, e meu Pai o amará e a ele nós viremos (Jo 14,23).
 
Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas.
Naquele tempo, disse Jesus: 17 7 “Qual de vós, tendo um servo ocupado em lavrar ou em guardar o gado, quando voltar do campo lhe dirá: ‘Vem depressa sentar-te à mesa?’
8 E não lhe dirá ao contrário: ‘Prepara-me a ceia, cinge-te e serve-me, enquanto como e bebo, e depois disto comerás e beberás tu?’
9 E se o servo tiver feito tudo o que lhe ordenara, porventura fica-lhe o senhor devendo alguma obrigação?
10 Assim também vós, depois de terdes feito tudo o que vos foi ordenado, dizei: ‘Somos servos como quaisquer outros; fizemos o que devíamos fazer’”.
Palavra da Salvação.


Comentário ao Evangelho

A HUMILDADE CRISTÃ
            A parábola do senhor e do servo põe em xeque uma mentalidade muito em voga entre os fariseus do tempo de Jesus. No trato com Deus, muitos deles eram movidos pela teoria da recompensa: tenho o direito de ser recompensado por todo o bem que faço. E julgavam poder exigir o pagamento devido por suas virtudes e boas obras, como se estivessem em pé de igualdade com Deus. Era preciso acautelar os discípulos contra este perigo.
            A distância que separa o Pai do discípulo é infinita, embora haja entre eles profunda relação. Nesta dinâmica de proximidade e distância, o discípulo se reconhece servidor do Pai, mas com plena liberdade. E jamais se julga no direito de exigir dele qualquer recompensa. Esta será tão-somente fruto do amor misericordioso do Pai.
            A constatação de sermos “servos inúteis” não indica que as ações humanas sejam desprovidas de valor diante de Deus, como se a pessoa, por mais que se esforce, jamais consiga fazer algo que, de fato, agrade a Deus.
            O sentido é bem outro e tem a ver com a humildade cristã. O discípulo faz o bem e se esforça por ser justo e misericordioso, porque nisto deve consistir a sua vida, e não porque agindo assim Deus irá recompensá-lo. Basta-lhe a consciência de saber que age em conformidade com o querer divino. Tudo mais está entregue à benevolência de Deus.

Oração
Pai, reconhecendo-me servo inútil, quero esforçar-me para ser justo e misericordioso. Somente assim serei agradável a ti.


Sobre as Oferendas

Lançai, ó Deus, sobre o nosso sacrifício um olhar de perdão e de paz, para que, celebrando a paixão do vosso Filho, possamos viver o seu mistério. Por Cristo, nosso Senhor.


Antífona da Comunhão

Os discípulos reconheceram o Senhor Jesus ao partir o pão (Lc 24,35).


Depois da Comunhão

Fortificados por este alimento sagrado, nós vos damos graças, ó Deus, e imploramos a vossa clemência; fazei que perseverem na sinceridade do vosso amor aqueles que fortalecestes pela infusão do Espírito Santo. Por Cristo, nosso Senhor.

Link: 85 pessoas viram!